13 de janeiro de 2015

» por em Sem categoria

CICLO = Criar com o que temos


Já imaginou criar obras de arte incríveis com o nosso lixo? Se os objetos que descartamos pudesse falar sobre aquilo que somos o que será que eles falariam? Será que é possível resignificar um objeto carregado de sentidos e dar a ele uma nova função, impressão, sensação?

Com um nome sugestivo e problematização das relações atuais, a exposição Ciclo: Criar com o que temos, reune obras de 13 artistas de todo mundo no Centro Cultural Banco do Brasil de Belo Horizonte. Copos descartáveis, palitos de dente, embalagens, eletrônicos, fios e até armas são utilizadas nas obras a fim de remeter um cotidiano onde impera o consumo, o descarte, a efemeridade dos objetos, o fetichismo pelo novo e claro a produção excessiva de lixo.

A exposição ensina sobre a reutilização criativa, transforma o obsoleto em atual, dando a obra um status de pessoa, que tem voz própria com suas formas e imagens. Criar com o que temos é mais que uma chamada, é uma denúncia ao esgotamento do modo de produção vigente e um convite a criação do verdadeiro novo, aquele que surge a partir da recomposição do velho.

Algumas imagens da exposição:

Obra feita de copos plásticos

Material utilizado: Palitos de dentes

 

Banheira feita com giletes antigas. Chega dá uma agonia!

 

As embalagens que descartamos falam sobre quem somos.

Além de ser uma super dica para apreciar uma boa arte contemporânea, a exposição tem tudo a ver com aquilo que adoramos: o tie-dye. Porque não usar nossa criatividade com dobraduras e cores a partir da reutilização de tecidos e roupas velhas? Porque não renovar o sentido político e social desta forma de expressão artística histórica?

Mãos a obra!

Leave a Reply